Postagens

A forma de eliminar o desejo, a kilesa associada a comida

Imagem
Por Ajahn Suchart 

O Buda nos ensinou a praticar o tempo todo, exceto quando vamos dormir. Ele estabeleceu um horário para os monges: das 18h às 22h praticamos samādhi e sabedoria, em meditação sentada ou andando; das 22h às 2h, vamos descansar, dormir; nos levantamos às 2 da manhã e até às 6 fazemos novamente meditação sentada ou andando até a hora de ir em piṇḍapāta, para coletar comida. Enquanto seguimos em nosso piṇḍapāta, ainda podemos praticar, podemos manter a atenção plena ou podemos contemplar a natureza impermanente de tudo que nos cerca. Tudo é impermanente. Podemos também contemplar a natureza do corpo enquanto fazemos o piṇḍapāta. Quando voltamos ao monastério, vamos à sālā para comer nossa comida. Continuamos com nossa atenção plena ou contemplação. Antes de comer, devemos contemplar o aspecto repulsivo da comida porque não queremos comer com o desejo de comer. Queremos comer como se toma um remédio. Para comer como tomar remédio, devemos colocar todos os alimentos juntos…

O Código de Disciplina para a Pessoa Leiga

O Sigalovada Sutta é considerado por Buddhaghosa como o "Vinaya [código de disciplina monástico] dos leigos. Nos tempos atuais, o renomado monge Bhikkhu Bodhi refere-se ao sutta como o "sutta mais abrangente no que se refere a felicidade nesta vida." O Sutta ocorre quando o Buda encontra um jovem chamado Sigala em seu passeio matinal. O jovem, em trajes encharcados, prostrou-se e adorou os quatros pontos cardeais (Leste, Sul, Oeste e Norte), mais a Terra (Abaixo) e o Céu (Acima). Quando perguntado pelo Buda por qual motivo fez isso, o jovem Sigala respondeu que tinha sido dito pelo seu falecido pai para fazê-lo e ele pensou que era certo cumprir os desejos de seu pai. O Senhor Buda, então, baseado no ponto de vista de Sigala, ensinou-lhe como um nobre (ariya) deveria adorar as Seis direções.
E aqui disponibilizo o sutta na íntegra. 
Digha Nikaya 31
Sigalovada Sutta Exortação para Sigala –
O Código de Disciplina para a Pessoa Leiga

1. Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado…